segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Tudo bem de novo.

É uma crítica, antes que me acusem, eu mesmo o faço.
Tudo bem , estou feliz porque o Rio de Janeiro vai sediar uma olimpíada, ótimo, ganho muito com isso, como trabalho com marketing, sei que teremos um reflexo disso aqui em Recife, vendas de passagens, promoções etc. Antes, teremos a Copa do Mundo de Futebol, mais um ponto pro Brasil, tenho que reconhecer que estas coisas só vi no governo Lula.

Bem , não sou fã de sua política, mas , realmente, estamos mais aptos a competir com o mercado exterior, hoje fiquei sabendo que o Brasil comprou do Banco Mundial 10 bilhões de dólares em títulos, ou seja, o FMI está com dinheiro nosso emprestado, já que compramos um título de saque imediato (SDR). É um avanço considerável e histórico, principalmente por se tratar de um país em vias de desenvolvimento.
Agora ainda tenho as minhas críticas.

Claro que teremos que fazer diversos investimentos para poder receber a copa, as olimpíadas e todas as pessoas envolvidas nesses eventos, porém, baseado no que eu vi nos Jogos Panamericanos sediados no Rio de Janeiro também, pergunto: Todas as medidas de segurança - que transfornaram o Rio num paraíso - toda a tecnologia empregada e os esquemas logísticos de transporte e comunicações que foram usados durante o evento não poderiam ser extendidos até após os eventos e em outras cidades?

É impressionamte como tudo funciona tão bem durante durante os eventos. E depois o que acontece? Será que essas mudanças necessárias só são percebidas como prioridades no momento que câmeras internacionais estão voltadas para nós?

O poder público, muito mais do que desgastado, já não tem aquela imagem cômica, esta deu lugar a um cenário trágico, onde os 80% da população paga caro para ter nada em troca!

Adorei a vitória do Rio para sediar a festa em 2016, foi uma vitória brasileira , sem dúvida, mas a "luta continua , companheiros!".

Brasil, em "posição de conforto"...

Segundo o Pnud - Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas - o Brasil encontra-se na 75ª posição na escala que mede o IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, numa escala de 182 países. Os primeiros colocados foram Noruega, Austrália e Islândia respectivamente, o último Nigéria. A China subiu 7 posições , Peru e Colômbia subiram 5. Este cenário também mostra que existe uma migração de pessoas entre países da mesma faixa de desenvolvimento, Cerca de 1/3 nuda entra as faixas de países, procurando nações mais desenvolvidas, existe também uma tendência de envelhecimento nos países mais desenvolvidos, a longevidade cresce à medida que a taxa populacional em países menos desenvolvidos aumenta. Isso é uma preocupação a mais, se Malthus que desde o século passado já estuda a proporção alimento x população e tinha visões negativas sobre nosso futuro, pouco foi realizado , apesar de uma tecnologia muito além desde então. Estes índices não refletem a realidade após a última crise global, isso quer dizer , que o relatório para 2011 pode ser muito diferente do que recebemos hoje.

Ps. O Afeganistão, voltou a figurar dentre os países avaliados, desde 1996 ele não participava.


fonte e + informações